• NO RASTRO DO RECADO DO MORRO

    No final de janeiro passado, a Escrevedeira organizou uma viagem literária para a região de Minas Gerais na qual se passa a narrativa de ‘O recado do morro’, de Guimarães Rosa. Saindo de São Paulo, 20 pessoas foram juntas a Morro da Garça, a pequena cidade em que se pode ver o morro do conto, e também a Cordisburgo, onde nasceu o escritor.

     

    Ao longo de cinco dias, os participantes assistiram, in loco, a duas aulas com Noemi Jaffe, que fez uma análise vertical da famosa narrativa de Guimarães Rosa, e a vários eventos do ‘28º Encontro de Arte e Cultura’, em Morro da Garça. Entre outros, apresentações especiais de folias de reis, de cantos e casos dos guaianeiros, das meninas do grupo Contadores de Estórias, dedicado à obra do escritor, fechando com uma caminhada ao topo do morro, com Dieter Heidemann, geográfo e profundo conhecedor dos escritos e dos sertões de Rosa, para acompanhar de lá o nascer do sol.

    Folia de Reis na praça de Morro da Garça

    Apresentação dos guaianeiros

    Meninas do grupo Contadores de Estórias, na Casa de Cultura

    Dieter Heidemann no ninhal das garças

    E em Cordisburgo, o grupo visitou o Museu Guimarães Rosa e a incrível loja-museu do Brasinha, que coordenou depois uma apresentação de seu grupo Caminhos do Sertão, na gruta de Maquiné.

     

    Brasinha em sua loja-museu

  • Leia mais sobre a viagem no texto de João Bandeira em nosso blog

    All Posts
    ×