• cursos e eventos da escrevedeira

    fique de olho nas novidades que acontecem por aqui

    O LIVRO DE POEMAS COMO PROJETO DE ESCRITA

    com Angélica Freitas

     

    Um livro de poesia costuma ser um apanhado de poemas que escrevemos durante algum tempo. Mas também pode ser um projeto mais definido, como aquele em que Cecília Pavón fez um inventário afetivo de poemas curtos sobre amigos e artistas importantes para ela. Ou As Helenas de Troia, para o qual Bernadette Mayer entrevistou, fotografou e escreveu poemas sobre várias Helenas moradoras da cidadezinha americana de Troy. Nesta oficina, os/as participantes lêem e discutem livros como esses e recebem orientação no desenvolvimento de seu próprio projeto de escrita.

     

    12, 19 e 26 de agosto
    e 2 de setembro, segundas
    19h30 às 21h30

    R$ 380

     

    Angélica Freitas é autora de Rilke Shake (7 Letras, 2007, vencedor do Best Translated Book Award, nos EUA) e Um Útero é do Tamanho de um Punho (Cosac Naify, 2012, Prêmio APCA de poesia). Além dos EUA, seus livros foram publicados em Portugal, na Espanha, Alemanha e Argentina.

     

    ESCREVER EM TEMPOS SOMBRIOS – A CRIAÇÃO LITERÁRIA E SUA RELAÇÃO COM O PRESENTE

    com Julian Fuks

     

    Em meio a tantas convulsões políticas, sociais, artísticas, culturais, escritores e escritoras parecem cada vez mais impelidos a contemplar o presente em suas obras. Mas como dar conta, em textos literários, de acontecimentos efêmeros e contextos fugazes? Em aulas teóricas e práticas, por meio da leitura e da produção de textos, o curso discute as possibilidades que tem a escrita de se fazer mais urgente e incisiva – para que não se desvencilhe de seu tempo, e sim pertença a ele.

     

    12, 19, 26 de agosto
    9, 16 e 23 e 30 de setembro, segundas
    19h30 às 21h30

    2 parcelas de R$ 380

     

    Julian Fuks é escritor e crítico literário. Doutor em Teoria Literária pela USP, é autor do romance A Resistência (Companhia das Letras, 2015), ganhador dos prêmios Jabuti, Saramago e Anna Seghers, e de Procura do Romance (Record, 2012), entre outros livros.

     

    *Este curso também será transmitido online

     

    ULYSSES E A TRAJETÓRIA DE JAMES JOYCE (série Tão Longe, Tão Perto)

    com André Conti

     

    Uma breve e descomplicada viagem pelo universo de James Joyce, centrada no seu livro mais famoso, Ulysses, por meio do estabelecimento de conexões com passagens de suas principais obras e com a própria vida do autor. Cada aula aborda um tópico específico de Ulysses, destacando a revolução narrativa operada por esse romance e o modo como dialoga com a Odisseia de Homero, além das circunstâncias históricas e de temas como sexualidade, paternidade e adultério.

     

    15, 20, 27 de agosto
    e 3 de setembro, terças
    19h30 às 21h30

    R$ 380

     

    André Conti é editor, jornalista e tradutor. Colaborador de publicações como a revista Piauí, trabalhou na Companhia as Letras e atualmente é um dos sócios da editora Todavia

     

    *Este curso também será transmitido online

     

    AS POSSIBILIDADES DO ENSAIO: TEORIA E PRÁTICA

    com Renato Prelorentzou

     

    Em séculos de existência, o ensaio se definiu sobretudo pela indefinição. Híbrido e maleável, diverso em suas manifestações, aproximou-se do jornalismo, da crônica, das memórias, da ficção, da poesia, da academia. A partir do equilíbrio entre discussões teóricas e exercícios práticos, este misto de curso e oficina de escrita criativa propõe que os participantes leiam e comentem textos paradigmáticos do ensaísmo e que, a cada encontro, avancem na produção de seus próprios ensaios, explorando novas possibilidades de ensaiar a partir da crítica e da imaginação.

     

    20 e 27 de agosto, terças
    3 e 10 de setembro
    19h30 às 21h30

    R$ 380

     

    Renato Prelorentzou é mestre em História Social e doutor em Teoria Literária pela USP. Tradutor de autores como Bertrand Russel, Perry Anderson e Peter Burke, também é editor e escreve sobre histórias e ficções em cultura.estadao.com.br/blogs/renato-prelorentzou

     

    ‘CRIME E CASTIGO’ – HISTÓRIA E ENGENHO NARRATIVO

    com Rubens Figueiredo

     

    Descrito sucintamente por seu autor como o ‘relato psicológico de um crime’, Crime e Castigo, apesar de clássico que influenciou gerações de escritores, pensadores e artistas das mais diversas áreas, tem uma amplitude nem sempre presente para os leitores contemporâneos, envolvendo as dificuldades da vida na grande cidade moderna, disputas ideológicas e dramas morais numa sintaxe convulsiva. Rubens Figueiredo, escritor e autor da nova tradução brasileira (Ed. Todavia), apresenta o romance de Dostoiévski de uma perspectiva crítica, repassando as circunstâncias históricas abarcadas no texto, as origens da narrativa e suas transformações até a publicação, os procedimentos de construção e de estilo, além das repercussões e polêmicas em torno do livro.

     

    22 e 23 de agosto, quinta e sexta
    19 às 21h
    24 de agosto, sábado
    9h30 às 11h30

    R$ 300

     

    Rubens Figueiredo é formado em Letras pela UFRJ. Com longa experiência como professor da rede estadual no Rio de Janeiro, é autor de três livros de contos e dos romances Barco a Seco e Passageiro do Fim do Dia (Companhia das Letras, 2001 e 2010). Traduziu autores como Gógol, Tolstói, Turguêniev, Dostoiévski e Tchékhov, entre outros. Recebeu os prêmios Jabuti, Portugal Telecom e São Paulo de romance e os de tradução da Biblioteca Nacional, APCA e Academia Brasileira de Letras.

     

    foto: Bel Pedrosa

    apoio: Editora Todavia

    TRÊS CURSOS COM GONÇALO M. TAVARES

     

    VIDA, PENSAMENTO E ARTE

    Uma reflexão, seguida de discussão com os participantes, sobre referências do pensamento, da política, da arte e outras linguagens, a partir de poemas, imagens, desenhos, gráficos, fotografias, músicas, jogos e mais fontes de expressão humana.

     

    28 de agosto, quarta

    10 às 17h

    R$ 400

     

    ESCRITA E IMAGINAÇÃO

    A partir do livro O Senhor Valéry, a oficina aborda conceitos como escrita e identidade, erro e criatividade, acaso e subjetividade, razão e desrazão, percepção e ponto de vista, linguagem privada e jogos de linguagem, entre outros, a serem discutidos e aplicados em exercícios coletivos de texto.

     

    29 de agosto, quinta

    14 às 17h30

    R$ 230

     

    LITERATURA, ARTES E PENSAMENTO CONTEMPORÂNEO

    Neste curso, Gonçalo Tavares discute os reflexos na literatura de temas como corpo, identidade, tecnologia, poder e utopia na obra de pensadores como Foucault e Deleuze, escritores como Thomas Mann e Herberto Helder, além de artistas como Ylia Kabakov e Marina Abramovic

     

    30 de agosto, sexta

    14 às 19h

    R$ 320

     

    * 10% de desconto para inscrição em três cursos

    5% para inscrição em dois cursos

     

    Gonçalo Tavares é autor de diversos livros de poemas, contos, ensaios e romances, incluindo alguns inclassificáveis, publicados em Portugal, no Brasil e em mais de outros quarenta países, que deram origem a filmes, peças de teatro, músicas e objetos de arte. Entre eles Jerusalém (Companhia das Letras, 2006, Prêmios José Saramago e Portugal Telecom) e O Senhor Valéry (Casa da Palavra, 2011, Prêmio Fundação Calouste Gulbenkian).

    LÍNGUA SOLTA – SLAM DE TRADUÇÃO

    com Bruna Beber e Alexandre Barbosa de Souza

     

    É sabido que cada língua compreende o mundo à sua maneira. Por isso, há os que afirmam que traduzir é trair e há os que discordam – questão nunca resolvida, principalmente no mundo da literatura. E ainda bem. Na dúvida, tradutores continuam a caprichar no jogo ágil de fazer ideias se deslocarem de uma língua a outra, viajando em palavras e seus sons. E que tal entrar no jogo de escolher quais as melhores escolhas feitas por dois tradutores de um mesmo texto? Língua Solta, o slam de tradução da Escrevedeira, propõe exatamente isso: duas versões para o português de um texto literário, apresentadas ao vivo para o público que, depois da conversa entre seus tradutores e um mediador, decide por votação qual deles ‘traiu’ melhor o original.
    O primeiro Língua Solta reúne Bruna Beber e Alexandre Barbosa de Souza, desafiados a traduzir e comparar suas versões em português do poema ‘Paisaje de la multitud que vomita – anochecer en Coney Island’, de Federico Garcia Lorca (do livro Poeta en Nueva York). Venha jogar com eles!

     

    22 de agosto, quinta
    20h

    R$ 15

     

    Bruna Beber é autora dos livros de poemas Rapapés e Apupos (7 Letras, 2010), Rua de Padaria (Record, 2013) e Ladainhas (Record, 2017), entre outros, e tradutora de livros de Lewis Carroll, Neil Gaiman e Eileen Myles.
    Alexandre Barbosa de Souza é autor de Livro de Poemas (Giordano, 1992), Azul Escuro (Hedra, 2004) e Livro Geral (Companhia das Letras, 2013), entre outros, e tradutor de livros de Jane Austen, Patti Smith, Alice Munro, Jack Kerouac e William Burroughs.

     

    fotos: Rafael Roncato e Nino Andrés

    INTERVALO COM LUCIANA E JANINE - LEITURAS E CONVERSAS

    Partindo da longa experiência de Janine Durand e Luciana Gerbovic com a coordenação e a difusão de clubes de leitura e projetos sociais, esses encontros propõem a vivência de um espaço de leitura pautado pelo acolhimento e a amizade, valorizando histórias pessoais e coletivas, refletindo sobre experiências presentes e passadas. Serão oito tardes, de setembro a dezembro (duas a cada mês) com conversas, leituras, escrita, comidinhas, trocas e algumas surpresas.

     

    5 e 19 de setembro

    3 e 24 de outubro

    7 e 28 de novembro

    12 de dezembro, quintas

    16 às 18h

    R$ 188, por encontro

     

    Luciana Gerbovic é advogada, professora e mediadora de diversos clubes de leitura em entidades públicas e privadas. Co-gestora do Programa Remição em Rede e líder do Comitê de Cultura do Grupo Mulheres do Brasil. Com Flavio Cafiero, coordena mensalmente o clube de leitura da Escrevedeira.

     

    Janine Durand é educadora, fundadora da Jnana Consultoria – Educação, Cultura e Redes e colunista da revista Emília. Com experiência na implantação de mais de uma centena de clubes de leitura, é articuladora do Programa Remição em Rede e líder do Comitê de Cultura do Grupo Mulheres do Brasil, que forma mediadoras de clubes de leitura.

     

    ROBERTO BOLAÑO E OS PARADOXOS DA NARRATIVA

    com Laura Hossiason

     

    Apesar de sua carreira literária relativamente curta, o chileno Roberto Bolaño foi logo considerado um renovador da narrativa literária em sua geração. Publicando em pouco tempo uma série de romances, novelas, contos e outros textos, Bolaño conquistou muitos leitores, além do reconhecimento da crítica e de outros escritores, admiradores da potência de sua imaginação numa escrita atenta às tramas da vida atual, em pequena ou grande escala. A partir da leitura e discussão de contos reunidos nos seus livros Putas Assassinas e Chamadas Telefônicas, o curso apresenta suas principais estratégias narrativas, focalizando as perspectivas de sua escrita diante das disjuntivas e paradoxos do mundo contemporâneo.

     

    10, 17, 24 de setembro

    1 de outubro, terças

    19h30 às 21h30

    R$ 380

     

    Laura Hossiason é professora de Literaturas Hispano-Americanas no Depto. de Letras Modernas da USP e autora de ensaios sobre literaturas e culturas hispano-americanas, dentre os quais ‘Nação e imaginação na Guerra do Pacífico’ (Edusp, 2012), ‘Anseio e sonho em María Luisa Bombal’ (Cosac Naify, 2013) e ‘La voz del otro y sus proyecciones en Roberto Bolaño’ (Brill/Rodopi, 2016).

    A NARRATIVA POLICIAL: INTRIGA E HISTÓRIA

    com Julio Pimentel Pinto

     

    Há mais de um século, os contos e romances policiais são um tremendo sucesso de público. Muitos detetives que habitam as páginas dos livros tornaram-se íntimos dos leitores, a exemplo de Auguste Dupin, Sherlock Holmes, Hercule Poirot, Miss Marple, Sam Spade, Philip Marlowe, o inspetor Maigret e tantos outros, entre eles o brasileiro Espinosa. O que poucos sabem, entretanto, é que a história da narrativa policial é tão intrigante quanto os casos de mistérios que lemos. Quando de fato ela surgiu, com Poe? Como foi se transformando ao longo do tempo? Por que é amada por tantos leitores nas mais diferentes línguas? De que forma ela dialoga, em contextos diversos, com o mundo que a cerca? Será que o criminoso é mesmo o mordomo – ou seria o autor?

     

    11,18, 25 de setembro

    2 de outubro, quartas

    19h30 às 21h30

    R$ 380

     

    Júlio Pimentel Pinto é professor no Depto. de História da USP e autor de Uma Memória do

    Mundo – Ficção, Memória e História em Jorge Luis Borges (Estação Liberdade, 1998) e A Pista & a Razão – Uma História Fragmentária da Narrativa Policial (e-galaxia, 2019), entre outros livros.

    ESCRITA TEATRAL E ALTERIDADE

    com Paula Autran

     

    A criação do texto teatral envolve questões específicas do trabalho com esse tipo de escrita. Como escrever dando voz ao outro que é o personagem? Como criar um outro que carrega tanto do próprio autor? Em tempos nos quais está em causa a real compreensão da alteridade, seja a política ou a pessoal, esta oficina, por meio do exame de alguns textos de autores de referência, discussões teóricas e exercícios práticos, leva os participantes a trabalhar o texto teatral experimentando uma visão que se orienta para fora de si, ainda que, paradoxalmente, nasça dentro deles mesmos.

     

    11, 13, 18, 20, 25 e 27 de setembro

    2 e 4 de outubro, quartas e sextas

    14h30 às 16h30

    duas parcelas de R$ 380

     

    Paula Autran Ribeiro é graduada em História e Jornalismo, doutora em Artes Cênicas pela USP, escritora e professora de dramaturgia em instituições do Brasil e de Portugal.

    PERAMBULE – OFICINA DE CRÔNICA

    com Fabrício Corsaletti

     

    Há quem diga que a crônica é o mais brasileiro dos gêneros literários. Sem perder o fio de uma conversa com o leitor, os cronistas são capazes dos mais diversos tons, do esquete cômico à meditação existencial, passando pela observação do cotidiano e pelo devaneio poético. A oficina apresenta as principais características desse gênero, comparando-o com alguns de seus vizinhos, como o conto, o ensaio e o poema em prosa, para propor aos participantes o exercício de escrever suas crônicas, que serão discutidas em aula.

     

    12 e 19 de setembro

    3 e 10 de outubro, quintas

    19h30 às 21h30

    R$ 380

     

    Fabrício Corsaletti é formado em letras pela USP, autor de diversos livros de poemas, contos e crônicas, entre eles King Kong e Cervejas, Esquimó, Quadras Paulistanas (Companhia das Letras, 2008, 2010 e 2013) e Perambule (Ed. 34, 2018). Foi colunista da revista São Paulo, da Folha de S. Paulo, publicando poemas e crônicas.

    ESCRITA VAGABUNDA

    com Noemi Jaffe

     

    Baseando-se na ideia de Julio Cortázar, da escrita – e da própria vida – como um jogo interminável, a oficina Escrita Vagabunda se propõe a passar um dia inteiro, num jogo de precisão e improviso, nas linhas do metrô e nas ruas de São Paulo. Em jogadas minuciosamente programadas, mas simultaneamente abertas ao acaso, um grupo de até vinte pessoas vai perambular pelas estações do metrô e por diversas paradas surpresa, em ações sempre vinculadas a leituras e exercícios de escrita. A proposta é uma prática de abertura ao inesperado, às esquinas desconhecidas da cidade e aos efeitos que isso pode provocar na forma como escrevemos.

     

    14 de setembro, sábado

    10 às 17h

    R$ 250

     

    Noemi Jaffe é doutora em Teoria Literária pela USP, autora de, entre outros, A Verdadeira História do Alfabeto (Cia. das Letras, 2012, prêmio Brasília de Literatura), O Que os Cegos Estão Sonhando? (Ed. 34, 2012 / Relógio d’Água, Portugal, 2016 / Deep Vellum, EUA, 2016), O Livro dos Começos (Cosac Naify, 2015) e Não Está Mais Aqui Quem Falou (Cia. das Letras, 2017, prêmio Biblioteca Nacional).

    CLUBE DE LEITURA

    com Luciana Gerbovic e Flavio Cafieiro

     

     

    livro do mês: Simpatia pelo Demônio, de Bernardo Carvalho

     

    Um brasileiro que trabalha numa agência humanitária em Nova Iorque é designado para levar o resgate que libertará o jovem refém de um grupo extremista. Enquanto se vê às voltas com sua própria sobrevivência, o personagem revê um tortuoso episódio de paixão de sua vida. A habilidade narrativa de Bernardo Carvalho faz desse romance uma mescla de política, humanidade e desejo que compõem uma grande odisseia pessoal. Como escreveu a crítica Beatriz Resende sobre o livro, “o demônio que termina, de algum modo, por inspirar simpatia, e de quem a separação é impossível, pode se chamar também literatura”.

     

    14 de setembro, sábado

    10h30
    contribuição voluntária

    (não é necessário se inscrever)

    LITERATURAS PALESTINA E ISRAELENSE: DIÁLOGOS

    Ensaios sobre Literatura Israelense Contemporânea

     

    As origens comuns das línguas faladas nos territórios de Israel e da Palestina são um indício de que, para além das fronteiras políticas, a literatura e outras artes podem constituir um espaço de diálogo entre culturas. O curso oferece um panorama sucinto das literaturas palestina e israelense, por meio da análise de textos de gêneros diversos, de autoria de alguns de seus mais importantes escritores. A primeira aula apresenta um quadro geral das principais tendências na produção atual nos dois territórios, pelo professor convidado Paulo Farah. A seguir, cada aula aborda a produção de dois autores, um palestino e um israelense: Mahmud Darwich e Yehuda Amichai; Fadwa Tuqan e Aharon Appelfeld; Khulud Khamis e Amos Oz.

     

    17 e 24 de setembro

    1 e 15 de outubro, terças

    19h15 às 21h30

    R$ 400

     

    Anselma Garcia de Sales é graduada em Letras e Línguística pela Unicamp, doutora em Letras pela USP e autora de estudos sobre a produção literária de Mahmud Darwich e sobre a Trilogia do Cairo, de Nagib Mahfuz.

     

    Saul Kirschbaum é doutor em Letras pela USP, com pós-doutorado pela Unicamp. É organizador, com Berta Waldman, de Ensaios sobre literatura israelense contemporânea (Humanitas, 2011) e autor de Diálogo das Civilizações – Cultura e Passagens (Ed. Unifesp, 2017), entre outros livros.

    DO POSTAL AO POST - ESCRITA CRIATIVA PARA ADOLESCENTES

    com Júlia Codo e Rita de Podestá

     

    A oficina proporciona aos jovens de 14 a 17 anos a experiência de produzir textos de diferentes gêneros literários em suportes variados, conhecendo as estratégias que caracterizam cada um deles. Partindo da correspondência, passando pela crônica e pelo conto, até chegar aos posts em blogs e redes sociais, os participantes praticam a escrita e a discussão de textos, utilizando diferentes linguagens, formatos e mídias. Desta maneira, por meio de leituras, análises coletivas e exercícios práticos, é possível ganhar agilidade para lidar com os mais diversos suportes e observar como influenciam e moldam o texto criativo.

     

    19 de setembro a 5 de dezembro, quintas

    15 às 17h30

    R$ 330 mensais

     

    Júlia Codo é formada em Letras pela USP e pós-graduada em Editoração e Jornalismo Cultural pela Universidade de Roma La Sapienza. Escritora, tradutora e editora, participou da antologia de contos Leia Mulheres (Pólen, 2019) e, em 2018, venceu o concurso literário #HerStory, da plataforma Sweek.

     

    Rita de Podestá é formada em Comunicação pela PUC-SP e em Letras pela USP, e pós-graduada em Estudos Literários pela Universidade Nova de Lisboa. Escritora e roteirista, foi finalista do prêmio SESC de contos Machado de Assis (2017), é autora de Minas de Tantos Geraes (Veredas, 2018) e Céu de Janelas(Selas, 2018).

    OFICINA DE HAI-KAI

    com Alice Ruiz

    De Ezra Pound a Paulo Leminski, passando por Octavio Paz, o haikai soube encontrar o seu lugar no Ocidente, extrapolando as suas origens japonesas. Forma da simplicidade lapidar e da concisão faiscante, continua hoje materializando o despojamento e a naturalidade que buscam muitos dos que escrevem poemas. A oficina de haikai coloca os participantes em contato com o gênero, elucidando os seus aspectos teóricos e práticos, incluindo noções da escrita ideogrâmica, as relações do haikai com a filosofia zen e os desafios que surgem ao se trabalhar com formas breves. A sessão final da oficina é dedicada à avaliação conjunta do material produzido pelos participantes.

     

    19 de setembro, quinta

    19 às 22h

    20 e 21 de setembro, sexta e sábado

    14 às 17h

    R$ 420

     

    Alice Ruiz é poeta, tradutora e letrista, com diversos livros publicados, alguns deles de haikais, gênero no qual é reconhecida como uma das principais autoras em língua portuguesa. Premiada com o Jabuti por pelo livro de poemas Dois em Um (Iluminuras, 2008), lançou em 2005 o CD Paralelas, com Alzira Espíndola, que conta com participações de Zélia Duncan e Arnaldo Antunes, seu parceiro em diversas canções.

     

    ESCRITORAS POR ESCRITORAS – MARÍLIA GARCIA: A ESCRITA COMO ESCUTA

    com Luciana Gerbovic e Flavio Cafieiro

    A nova série da Escrevedeira que traz escritoras falando de sua obra, autores e autoras prediletos, referências literárias e de outras fontes convida Marília Garcia.

    A poesia muitas vezes é pensada como ‘escrita da subjetividade’, mas também pode ser vista como ‘escuta’: de outros textos, de vozes da língua, de outras artes. Abordando a escrita como leitura e diálogo, o encontro propõe leituras comentadas de textos próprios e de outros autores, como Anne Carson, Bernadette Mayer, Nathalie Quintane e Sebastião Uchoa Leite. Mistura de bate-papo, comentários e análises detalhadas, ‘Escritoras por Escritoras’ oferece uma experiência extensa e intensa de aproximação com o universo de criação de mulheres que dão corpo à literatura que se faz hoje.

     

    21 de setembro, sábado

    10 às 16h

    (com 1 hora para almoço)

    R$ 250

     

    Marília Garcia é poeta, tradutora e autora de Um Teste de Resistores (7 Letras, 2014) e Câmera Lenta (Companhia das Letras, 2017, vencedor do Prêmio Oceanos), entre outros. Traduziu autores como Annie Ernaux, Emmanuel Hocquard e Gertrude Stein.

     

     

    FORMAÇÃO EM MEDIAÇÃO DE CLUBES DE LEITURA – MÓDULO INTRODUTÓRIO

    com Janine Durand e Luciana Gerbovic

    Surgidos na Inglaterra há muito tempo, os clubes de leitura chegaram ao Brasil neste século XXI e já provaram ser uma forma simples e poderosa de transformação. Por meio da literatura, os clubes propiciam aos leitores um espaço democrático de escuta, fala e troca de experiências, envolvendo simultaneamente alteridade e pertencimento. Mediar um clube de leitura é também uma arte, capaz de pequenas revoluções que nos devolvem uma cota de humanidade, ampliando laços e sentidos sociais. Destacando a abordagem literária, a preparação do trabalho de mediação e as dinâmicas das rodas de leitura, esse módulo introdutório alia teoria, prática e metodologia dialógica para quem deseja se conectar ao movimento de mediação de clubes de leitura.

     

    26 de outubro

    9 e 23 de novembro, sábados

    10 às 15h

    (com 1 hora para almoço)

    R$ 400

    (20% para professoras e professores)

     

    Janine Durand é educadora, fundadora da Jnana Consultoria – Educação, Cultura e Redes e colunista da revista Emília. Com experiência na implantação de mais de uma centena de clubes de leitura, é articuladora do Programa Remição em Rede e líder do Comitê de Cultura do Grupo Mulheres do Brasil, que forma mediadoras de clubes de leitura.

     

    Luciana Gerbovic é advogada, professora e mediadora de diversos clubes de leitura em entidades e espaços públicos e privados. Co-gestora do Programa Remição em Rede e líder do Comitê de Cultura do Grupo Mulheres do Brasil. Com Flavio Cafiero, coordena mensalmente o clube de leitura da Escrevedeira.

     

     

  • OLHO NO OLHO – FOTOGRAFIA & LITERATURA

    com Maureen Bisilliat, Bob Wolfenson, Cristiano Mascaro, Alberto Martins, Matinas Suzuki Jr. e Noemi Jaffe

     

    Neste ciclo de encontros, profissionais da escrita convidam fotógrafos a falarem sobre autores e livros importantes para a sua produção de imagens. Os encontros se dividem entre a sede da Escrevedeira, dias 10 e 17 de agosto, na Vila Madalena, e a 13ª SP-Foto, que acontece de 21 a 25 de agosto, no Shopping JK Iguatemi.

    Sob a curadoria de João Bandeira, a iniciativa é uma realização conjunta da Escrevedeira com a SP-Foto.

     

    MAUREEN BISILLIAT & ALBERTO MARTINS

     

    Marcada pela leitura de Grande Sertão: Veredas, Maureen Bisilliat encarou o desafio de fotografar o sertão mineiro, onde se passa a obra de Guimarães Rosa. Encorajada pelo próprio autor, a fotógrafa publicou, em 1969, A João Guimarães Rosa, ensaio-homenagem àquele que mais fortemente traduziu o sentimento de um Brasil profundo. A partir dessa experiência, a relação de Maureen com a literatura brasileira se estreitou ainda mais: obras de Drummond, Euclides da Cunha, João Cabral, Adélia Prado e Jorge Amado foram a base de diversos outros ensaios da fotógrafa publicados em livros. Em diálogo com o escritor e artista Alberto Martins, ela fala da convivência com alguns desses autores e das paixões literárias que moveram suas aventuras fotográficas pelo país.

     

    10 de agosto, sábado
    11h
    na Escrevedeira

    Rua Isabel de Castela, 141 - Vila Madalena
    entrada franca

     

    fotos: Leo Martins (esq.) / João Musa (dir.)
     

    BOB WOLFENSON & MATINAS SUZUKI JR.

     

    Quando o fotógrafo Walker Evans e o jornalista James Agee se uniram para retratar os efeitos da Grande Depressão no interior dos Estados Unidos, provavelmente não imaginaram que estavam fazendo história no jornalismo. Recusado pela revista Fortune por romper os padrões editoriais da época, o trabalho conjunto resultou no livro Elogiemos os Homens Ilustres, que se tornou um clássico do jornalismo literário e da reportagem fotográfica, ao retratar lavradores pobres do Alabama, na época da Depressão. Publicado em português pela Companhia das Letras, sob coordenação do jornalista e editor Matinas Suzuki Jr., o livro de Evans e Agee é o tema do encontro entre o editor e Bob Wolfenson, um dos mais renomados retratistas da atualidade.

     

    17 de agosto, sábado
    11h
    na Escrevedeira

    Rua Isabel de Castela, 141 - Vila Madalena
    entrada franca

     

    foto: Paulo Troya (dir.)

    CRISTIANO MASCARO & NOEMI JAFFE

     

    Na conversa de encerramento do ciclo, Cristiano Mascaro – um dos mais importantes fotógrafos do país, conhecido por sua fidelidade ao registro em preto e branco das populações de diversas regiões brasileiras e de marcos arquitetônicos de várias partes do mundo – confidencia à escritora Noemi Jaffe sua concepção do papel do fotógrafo como uma espécie de cronista da vida. Partindo dessa ideia, Mascaro fala de sua relação íntima com a literatura e em que medida certos livros de nomes seminais desse universo, como Clarice Lispector, Ernesto Sabato, Italo Calvino e o crítico Antonio Candido, têm sido motivo de inspiração na longa trajetória de sua produção fotográfica.

     

    23 de agosto, sexta
    17h
    na SP Foto

    Cubo JK Iguatemi - Av. Pres. Juscelino Kubitschek, 2.041
    entrada franca

     

  • cursos e oficinas permanentes

    OFICINA DE ESCRITA PARA INICIANTES

    com Flavio Cafiero

     

    Existem coisas que só saem de nós por escrito. Muita gente gostaria de escrever suas histórias, fictícias ou não, mas faltam estímulo e prática. E há aqueles que precisam escrever, mas não conseguem. Na oficina, por meio da análise de contos da literatura mundial e da proposição de exercícios de escrita criativa, o participante terá condições de soltar sua voz. Os requisitos são apenas gosto pela leitura e vontade de se aventurar.

     

    Flavio Cafiero é autor de O Frio Aqui Fora (Cosac Naify, 2013, romance finalista dos prêmios Jabuti e São Paulo), da coletânea de contos Dez Centímetros Acima do Chão (Cosac Naify, 2014, finalista do prêmio Oceanos e ganhador dos prêmios Jabuti e Belo Horizonte) e da novela digital O Capricórnio se Aproxima (e-Galáxia, 2014).

     

    nova turma
    7 de agosto a 6 de novembro, quartas
    19 às 21h


    3 parcelas de R$ 430

    OFICINAS DE ESCRITA CRIATIVA

    com Noemi Jaffe

     

    A oficina propõe a leitura e a discussão de textos de referência em prosa, literários e teóricos, e exercícios diversos de escrita criativa, incluindo a análise crítica dos textos produzidos pelos participantes. Além disso, os participantes escrevem um ou dois contos longos durante o semestre, com acompanhamento do professor.

    ​​

    turma 1

    início em 12 de agosto, segundas

    20 às 22h

     

    turma 2

    início em 13 de agosto, terças

    10 às 12h

     

    turma 3

    início em 14 de agosto, quartas

    10 às 12h

     

    5 parcelas de R$ 430

     

    VAGAS ESGOTADAS, inscrições em lista de espera

     

    Noemi Jaffe é doutora em Teoria Literária pela USP, autora de, entre outros, Folha Explica Macunaíma (Publifolha, 2001), A Verdadeira História do Alfabeto (Cia. das Letras, 2012, prêmio Brasília de Literatura), O Que os Cegos Estão Sonhando? (Ed. 34, 2012 / ed. em inglês Deep Vellum, EUA, 2016), O Livro dos Começos (Cosac Naify, 2015) e Não Está Mais Aqui Quem Falou (Cia. das Letras, 2017, prêmio Biblioteca Nacional).

     

    Inscrições e mais informações pelo e-mail contato@noemijaffe.com.br

     

  • ULYSSES E A TRAJETÓRIA DE JAMES JOYCE
    $0.38
    Quantity
    Coming soon
    All Posts
    ×